Terra e água: A visão do general.

09/02/2021

Por Marcus Vinicius

O Presidente Jair M. Bolsonaro comentou na live semanal no facebook na virada do ano (Última live do ano! - 31/12/2020) que o desenvolvimento tecnológico seria algo tão importante para a nação que um país atrasado tecnologicamente seria escravo daqueles mais avançados tecnologicamente. "Um país que não tem tecnologia está condenando a ser escravo de um país que tem tecnologia", disse o Presidente. O comentário reforça o entendimento de que o Governo pretende investir no setor de Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC, de acordo com o orçamento disponível.

Em um momento do vídeo o Presidente fez a comparação que chamou a atenção e logo em seguida referiu-se ao Ministro Marcos Pontes, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, elogiando o trabalho do mesmo.

O fato é que o governo reconhece a necessidade de se investir em programas de apoio e fomento ao desenvolvimento tecnológico e de pesquisa que é liderado por países pioneiros como China, Japão, EUA.

Com isto fica a dúvida: o quanto de fato possuímos a tecnologia aliada aos interesses primordialmente nacionais? Não necessariamente smartphones e aplicativos dispensáveis. Tal como é a retenção de dados de empresas privadas e públicas em infraestrutura própria? Ou, ainda, seja por sistemas de informática ou banco de dados controlados por empresas brasileiras? Contudo, há de se admitir que depois do advento da Internet nenhuma tecnologia é 100% nacional porquê ela traz um pouco da experiência de outros players, mas ela pode ser desenvolvida, controlada e produzida para uso específico como por exemplo a Casa da Moeda do Brasil.

Em A arte da Guerra encontramos tal referência:

"O mais importante em uma operação militar é a vitória e não a persistência. Esta última não é benéfica. Um exército é como o fogo: se não o apaga, se consumirá por si mesmo."

"A invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória, no ataque. Quem se defende mostra ser inadequada sua força; quem ataca mostra que ela é abundante."

"O primeiro a chegar ao campo para esperar a vinda do inimigo estará revigorado para a luta"

"Movimente-se depois do inimigo e chegue antes dele"

"O perito em batalhas move o inimigo em vez de ser movido por ele"

"Quando se resolvem os problemas antes que surjam, quem chama isso de inteligência?"