O que o tiririca e o carnaval tem em comum?

Um tiririca incomoda muita gente... dois tiriricas incomodam, incomodam muito mais... três tiriricas incomodam muita gente...

Pois mais um ano de carnaval no Brasil é oferecido aos foliões que descarregam suas energias no calor das ruas carnavalescas ao som típico de muito samba-enredo que é apreciado por qualquer parcela da população e turistas. Certamente, o evento movimenta alguns setores da economia, como turismo, comercio, industria de bebidas etc. Contudo, a melhor ou pior fantasia carnavalesca é a mascara do 'palhaço tiririca', talvez não pelo teor estético mas por tratar-se de uma sátira icônica da situação política do país.

E foi exatamente isto que o palhaço descobriu quando foi eleito deputado federal em 2010. Em suas palavras, Francisco Everardo Oliveira Silva (54), o Tiririca (PR-SP), disse que finalmente sabe o que faz um parlamentar: "É uma pessoa que trabalha muito e produz muito pouco" porque a Câmara, na opinião dele, "é uma fábrica de loucos". Após ter anunciado que abandonaria a política em dezembro de 2017, ele desistiu da decisão e conseguiu a segunda reeleição. O palhaço possui carreira artística e circense e elaborou Projeto de Lei (PL 144/2020) que favorece a atividade circense.

Por sua vez, a indagação do famoso palhaço que só é bufão quando está fazendo o papel do dito-cujo não poderia ser melhor e demonstra a fragilidade da organização política do país que consiste em um sistema proporcional de votos - o deputado foi um "puxador de votos" para seu partido. Com mais de um milhão de votos, conseguiu levar com ele outros candidatos para a Câmara dos Deputados.

Em meio a pitadas de psicopatia e muito carnaval o Congresso demora a descobrir a forma correta de trabalhar. Já para ocupar a cadeira de Deputado Federal que, aliás, trabalha pouco e produz menos ainda, a qualidade dos nossos representantes depende da renovação, e, ainda, de candidatos que apresentem um mínimo de propostas e projetos ANTES da eleição.